Perda de força muscular: saiba como evitar - Apsen Farmacêutica - O cuidado que transforma!
Siga-nos!

Siga-nos


Qualidade de vida e Bem-estar

Encontre aqui no blog Extima matérias sobre o universo da saúde muscular como a sarcopenia e outras doenças musculoesqueléticas, atividades físicas, envelhecimento saudável, alimentação, qualidade de vida e bem-estar.

30 de abril de 2021 (3 meses atrás)

Perda de força muscular: saiba como evitar

Devido ao atual cenário, muitas pessoas têm passado seus dias dentro de casa, sem possibilidade de realizar as atividades físicas que faziam parte da sua rotina. Até aquela caminhada para o ponto de ônibus parou de ser realizada diariamente e, com isso, nosso corpo começa a apresentar sintomas de perda muscular. Nesse artigo, vamos aprender como evitar a perda da força muscular.

 

como-evitar-a-perda-de-força-muscular

 

 

 

O que são os músculos e suas forças?

 

Os músculos são um emaranhado de fibras que compõem o nosso sistema musculoesquelético. Ele que nos mantêm de pé no dia a dia e nos movimenta, sem eles temos menos força e flexibilidade, diminuindo assim nossa coordenação motora e a nossa qualidade de vida. É natural a perda de força com o decorrer das nossas vidas, mas com algumas ações, podemos retardar e até mesmo prevenir esse avanço.

Nosso corpo possui 3 tipos de forças: a isométrica, a isotônica e a isocinética, todas elas podem ser ativadas por alguma atividade física, seja em casa ou fora. Cada força tem sua função, entre elas a flexibilidade dos nossos movimentos, coordenação motora ou então velocidade das ações. É  importante sempre estar atento ao que o seu corpo diz e o que ele precisa.

 

 

Qual a causa de perda de força muscular em idosos?

 

Os idosos compõem a faixa mais afetada pela sarcopenia, doença que afeta os músculos e reduz a massa corporal, fazendo assim com que sejam mais frágeis e suscetíveis a quedas e lesões. Mas o que muitos não sabem é que esse mal não acomete apenas idosos, por isso é importante toda atenção aos sinais, desde sempre.

O primeiro fator causador é a idade em si. Com o passar do tempo, nosso corpo para de produzir alguns hormônios responsáveis pela reposição celular e regeneração muscular. Outro fator determinante é a rotina e hábitos alimentares como caminhadas ou uma vida sedentária.

Por isso, é bastante importante se cuidar desde cedo, uma alimentação equilibrada com pães, proteínas, leite e seus derivados, além de gorduras boas, essenciais para uma saúde mais revigorada. Outro ponto de atenção é a prática de exercícios físicos, que devem acompanhar a pessoa desde sempre. Pode ser uma caminhada no parque ou malhação na academia, o importante é sempre mexer o esqueleto.

 

 

Como recuperar a força muscular?

 

Após o primeiro diagnóstico de perda muscular é preciso repor os nutrientes que o corpo está deficiente. A melhor forma é ajustar a alimentação e buscar uma suplementação de acordo com as atividades diárias. Uma forma de suplementar sua alimentação e auxiliar o corpo na formação dos músculos é consumindo Extima. Clique aqui para saber um pouco mais sobre ele.

 

 

Atividades que auxiliam no ganho muscular

 

Seja com exercícios de alta, média ou baixa intensidade, temos certeza que você encontrará o ideal para sua rotina. Lembrando que não é essencial a presença de equipamentos de ginástica, mas se tiver, é um grande auxílio nos resultados finais.

Entenda seu corpo e veja o seu limite para evitar lesões musculares ou nas articulações. Além disso, busque um calçado confortável caso vá realizar atividades de impacto. Veja algumas dicas abaixo:

  • Alongamento: o alongamento é uma atividade que muitas vezes não possui o reconhecimento que merece. Ele auxilia para o não atrofiamento dos músculos, além de ser um alívio para as articulações. Nunca force um músculo, sempre vá aos poucos e com a respiração equilibrada, seu corpo fará o trabalho todo sozinho. Exemplos: entrelace os dedos e leve em direção ao teto; leve a palma da mão por cima da cabeça e apoie a outra mão no cotovelo contrário; leve a palma das mãos em direção ao chão com os pés levemente afastados; entre outros. Cada posição fique por 15 segundos e troque de lado.

 

  • Elevação lateral: deitado no chão apoie-se em um dos lados do corpo, apoie a cabeça na mão que está mais próxima ao chão e a outra mantenha na frente do corpo. Lentamente leve a perna para cima sentido o teto e abaixe novamente, faça esse exercício por 10 vezes e repita do outro lado. Execute 3 séries dessa atividade.

 

  • Corrida no lugar: de pé imite uma caminhada elevando o joelho para a frente do corpo, alterne as pernas e faça esse movimento por alguns segundos, descanse e repita. Realize 3 séries dessa atividade.

 

  • Dança: a dança tem caído nas graças dos idosos e por isso é uma atividade que deve ser levada em consideração. Ela atua em diversas partes do corpo além de ajudar na coordenação motora, memória e alegra a vida. Pode ser feita sozinha ou acompanhada, o importante é encontrar um ritmo que agrada e mexer o esqueleto!

 

 

A alimentação também é fator importante para evitar a perda muscular

 

Talvez um dos pontos mais importantes para retardar a perda muscular seja a alimentação e a ingestão de água. Nosso músculo é formado por uma grande quantidade de água e por isso é importante sempre manter a ingestão de água em mais ou menos 35ml de água para cada quilo, ou seja, uma pessoa com 80 kg deve ingerir uma média de 2,8l de água por dia.

Já a alimentação deve ser rica em cálcio, proteínas e gorduras boas, um prato colorido e rico deve ser sempre a melhor opção para todas as fases da vida, por isso lembre-se de manter 50% do prato com legumes e verduras, 25% com grãos e carboidratos e 25% com proteínas.

Quer saber mais sobre a saúde muscular? Acompanhe Extima nas redes sociais. Estamos no Instagram e no Facebook.

 

FONTE

Metrópole

Tua Saúde

Saúde Abril

 

Mais em Qualidade de vida e Bem-estar