Qual o melhor cálcio para idosos?

0800 016 5678 - 8h às 17h | Segunda a Sexta

BLOG

Qual o melhor cálcio para idosos?


Não é segredo para ninguém que o cálcio faz bem para nossos ossos, certo? Mas o cálcio tem muitas ações em nosso organismo, sendo fundamental para o funcionamento do nosso corpo, principalmente conforme vamos avançando em idade. Você sabe qual o melhor cálcio para idosos? No artigo de hoje, vamos responder essa pergunta e falar sobre a importância do cálcio na terceira idade.

 

cálcio para idosos

 

Qual a importância do cálcio para idosos?

Não somente para os idosos, mas para o ser humano em geral, o cálcio é fundamental para a manutenção de sua saúde. O cálcio é o mineral mais abundante em nosso corpo, chegando a representar de 1 a 2% do peso de um adulto. A maior concentração de cálcio está em nossos ossos e dentes, chegando, cerca de 99%, e o restante circula por nossa corrente sanguínea. Portanto, um corpo forte, precisa da ingestão apropriada desse nutriente.

 

Além da importância para a manutenção da massa óssea, o cálcio possui outras diversas funções em nosso corpo. Veja algumas delas:

 

  • Participação nas funções neuromusculares – A presença do cálcio é responsável pelas reações que desencadeiam a contração muscular.

 

  • Atuação como mensageiro no interior das células – A interligação entre cálcio e proteínas torna a membrana permeável e é responsável pela secreção de hormônios

 

  • Atuação no processo de coagulação

 

  • Relação com o controle da pressão arterial – estudos apontam que uma alimentação com níveis adequados de cálcio previne e ajuda no tratamento da hipertensão.

 

Falando especificamente sobre os idosos, geralmente eles apresentam um alto risco de deficiência de cálcio. Essa deficiência acontece por diversas razões, como o baixo consumo desse mineral durante a vida, uso prolongado de medicamentos que diminuem a absorção do cálcio e a temível osteoporose, que vamos falar um pouco mais no decorrer desse artigo.

 

Quanto de cálcio o idoso deve consumir?

Cada fase de vida requer uma quantidade adequada de cálcio. Na infância, por exemplo, período onde os ossos e dentes estão em desenvolvimento, o consumo recomendado é maior.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a ingestão de cálcio de uma pessoa adulta seja em média de 1000mg ao dia.

 

Quando atingimos a terceira idade, a recomendação também passa a ser de uma ingestão maior do mineral, já que a absorção do nutriente pelo organismo pode estar menor e se faz necessário fortalecer os ossos. Sendo assim, a recomendação passa a ser de 1500mg ao dia na melhor idade.

 

Alimentos que contêm cálcio

Não é segredo para ninguém que o leite e os derivados do leite são as maiores fontes de cálcio para nosso organismo, mas o que muita gente não sabe é que esse mineral pode ser encontrado em outros alimentos também. Veja a seguir:

 

  • Laranja-lima (180g) – 56mg de cálcio.

 

  • Leite integral (1 copo) – 295mg de cálcio.

 

  • Mamão formosa (170g) – 42mg de cálcio.

 

  • Pão de queijo (2 unidades médias) – 41mg de cálcio.

 

  • Queijo fresco (56 g) – 324mg de cálcio

 

  • Pescada frita (120g) – 454mg de cálcio.

 

  • Sardinha assada (50g) – 219mg de cálcio.

 

Os peixes ganham uma atenção especial, já que muitos dele são ricos em ômega 3, cálcio, selênio, zinco, magnésio e potássio, e também possuem ação anti-inflamatória.

 

A união do cálcio e da vitamina D para a saúde dos idosos

Eduardo e Monica, arroz e feijão, queijo e goiabada. São muitos os “casais” que a gente não imagina um sem o outro, não é mesmo? O cálcio e a vitamina D podem facilmente compor essa listinha. Isso porquê os dois, combinados, trazem ótimos benefícios ao nosso corpo, especialmente aos nossos ossos.

 

A vitamina D, também conhecida como calciferol, estimula a absorção do cálcio pelo nosso organismo após a exposição solar, ou seja, sem ela o nosso corpo não absorve o cálcio de maneira adequada e nossos ossos se tornam mais frágeis.

 

A estimativa é que a maior parte (90%) da vitamina D que precisamos vem da exposição solar. Por isso, é importante que os idosos tomem sol diariamente, de 10 a 20 minutos, nas primeiras horas da manhã ou nas últimas horas da tarde.

 

Essa dobradinha entre cálcio e vitamina D vai além da absorção do mineral pelo nosso corpo. A vitamina D também está relacionada ao bom funcionamento do coração, cérebro e proteção contra diversas doenças, entre elas o câncer, asma, diabetes, esclerose múltipla, e até mesmo a depressão.

 

Quer saber mais sobre a vitamina D? Assista ao episódio do Papo de Doutor sobre o assunto:

 

 

A importância do cálcio na prevenção da osteoporose em idosos

A osteoporose é uma doença silenciosa que torna os ossos frágeis e quebradiços. A doença diminui a densidade óssea e faz com que os riscos de fraturas aumentem vertiginosamente. Dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) mostram que 10 milhões de brasileiros sofrem com essa doença. A osteoporose é uma doença que atinge mais as mulheres, devido à densidade dos ossos e a fatores como a menopausa. Mundialmente, a estimativa é que a doença atinja 200 milhões de mulheres e 1 a cada 3 mulheres acima de 50 anos devem sofrer alguma fratura consequente da osteoporose em algum momento de sua vida.

 

A prevenção da osteoporose deve ser feita desde a infância, com a adoção de hábitos saudáveis de vida e o consumo regular e em quantidades adequadas de cálcio.

 

Nos idosos, prevenir a osteoporose significa muito, já que as quedas e fraturas acabam tirando a autonomia dos idosos. Para evitar essas consequências, o consumo de cálcio em uma dieta balanceada, atrelado a prática de exercícios físicos e ao sono de qualidade são essenciais.

 

Assista ao episódio do Papo de Doutor que fala sobre a osteoporose:

 

 

 

Acompanhe Extima no Facebook e no Instagram e tenha acesso a mais conteúdos sobre saúde muscular, esportes, qualidade de vida e bem-estar.

Receba nossas novidades

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e receba todas as novidades do nosso universo em primeira mão.