Depressão: saiba mais sobre o mal do século XXI

0800 016 5678 - 8h às 17h | Segunda a Sexta

BLOG

Depressão: saiba mais sobre o mal do século XXI


Hoje vamos falar sobre a depressão. Considerada como o mal do século, essa doença atinge cerca de 350 milhões de pessoas no mundo e causa diversos impactos nas atividades diárias da pessoa que possui a doença. A estimativa é que 19% da população mundial possua depressão em algum momento da vida e é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a doença que mais produz incapacidade funcional em todo o mundo.

Ouça o episódio do ApsenCast sobre o assunto:

 

 

Mas afinal, o que é depressão e quais são os sintomas?

“A depressão é uma doença biológica que tem um fundo psicológico junto, mas afeta várias esferas da vida da pessoa.” – Doutor Luiz Dieckmann, médico psiquiatra.

Depressão

 

 

Uma das principais características da depressão é a deficiência de substâncias neurotransmissoras, como a serotonina. A doença é categorizada como um quadro marcado por cinco ou mais dos seguintes sintomas:

 

  • Presença de humor triste ao longo de quase todo o dia, na maior parte dos dias,
  • Perda de interesse e prazer nas suas atividades rotineiras,
  • Ganho ou perda de peso sem estar fazendo dieta,
  • Redução ou aumento de apetite quase todos os dias,
  • Insônia ou excesso de sono quase todos os dias,
  • Agitação ou lentidão psicomotoras observáveis por outras pessoas,
  • Sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva ou inapropriada,
  • Capacidade diminuída para pensar, se concentrar e tomar decisões,
  • Pensamentos recorrentes de morte ou ideação suicida.

 

Como é feito o diagnóstico da depressão?

Para obter o diagnóstico oficial de depressão, entre os cincos sintomas que devem existir, necessariamente um deles deve ser o humor triste e a perda de interesse e prazer. Os sintomas têm que trazer prejuízo para o funcionamento do paciente e sofrimento significativo, e não podem ser explicados pelo uso de drogas, remédios ou pela presença de outra doença.

 

Os sintomas que caracterizam a depressão dão a perceber que eles são comportamentos normais dos seres humanos em determinadas situações e circunstâncias. Para que esses comportamentos sejam considerados como sintomas, e por consequência, frutos de uma doença, é necessário que eles aconteçam em excesso, aleatoriamente, de forma persistente e impactando a funcionalidade e qualidade de vida do indivíduo. É importante fazer essas ressalvas, já que por essa razão, muitas pessoas demoram a diferenciar o comportamento normal e patológico, adiando assim a busca pelo auxílio médico.

 

Consequências e impactos da depressão

Podemos dizer de forma clara que o prejuízo associado à doença é diretamente ligado a presença dos sintomas depressivos, podendo afetar diretamente a forma como o indivíduo se relaciona com os outros, fragilizando seus vínculos sociais, comprometendo o engajamento em tarefas essenciais do seu dia, podendo fazer com que o mesmo não realize de forma adequada seu cuidado, adotando hábitos de vida menos saudáveis (sedentarismo, uso de álcool, tabaco e etc.), o deixando mais vulnerável a outras doenças.

 

Essa vulnerabilidade também está diretamente associada às alterações de peso/apetite e do sono que ocorrem na depressão, podendo fazer com que o paciente passe a se ausentar do trabalho.

 

Pessoas com depressão elevam os números de absenteísmo (faltas no trabalho) e presenteísmo (quando a pessoa esta presente, mas não executa plenamente suas funções), o que gera consequências bilionárias anualmente. Além desses impactos, quando não tratada, a depressão aumenta o número de outras doenças no corpo do paciente e e a mortalidade.

 

Fatores de risco para a depressão

Existem dois fatores que estão diretamente relacionados ao desenvolvimento da depressão: fatores individuais e fatores ambientais.

 

Os fatores individuais são aqueles relacionados diretamente a pessoa, sua biologia e suas escolhas. Abaixo alguns exemplos de fatores individuais:

 

  • Fatores genéticos.
  • Fatores biológicos, como outras doenças e o envelhecimento.
  • Hábitos de vida, como vícios, uso frequente de celular e má qualidade do sono.

 

Já no caso dos fatores ambientais, podemos citar como os principais fatores de risco para o desenvolvimento da depressão:

 

  • Eventos de vida altamente estressantes.
  • Eventos traumatizantes.
  • Eventos adversos em idades precoces.

 

 

Tratamento multidisciplinar para a depressão

O tratamento para a depressão pode ser feito com medicamentos antidepressivos, mas ele é multidisciplinar. Como a doença afeta diversas áreas da vida do paciente, o apoio de outros profissionais é extremamente importante para que se tenha êxito, como psicoterapeutas, nutricionistas e profissionais de educação física. Cada um desses profissionais é responsável por proporcionar mais qualidade de vida ao paciente e auxiliar na remissão dos sintomas.

 

Apesar de tudo o que foi dito, ainda sofremos com um problema de resistência ao tratamento. Observamos ainda que apenas 1/3 dos pacientes com depressão respondem ao primeiro tratamento proposto. O outro terço dos pacientes vão responder aos tratamentos subsequentes e, o 1/3 restante, infelizmente não respondem adequadamente ao tratamento. Por isso, é importante e fundamental que haja a adesão ao tratamento, já que seu interrompimento pode tornar a doença crônica.

 

É possível prevenir a depressão?

Segundo o Ministério da Saúde, a melhor forma de prevenir a depressão é através de um estilo de vida saudável:

 

  • Alimentação equilibrada
  • Combater o estresse realizando atividades prazerosas
  • Sono de qualidade e regular
  • Praticar atividades físicas regularmente
  • Não interromper o tratamento sem orientação médica.

 

A depressão associada a outras doenças e transtornos

Devido a sua complexidade e seus sintomas, a depressão é frequentemente associada a outras doenças e transtornos, como a ansiedade, bipolaridade e ideações suicidas. O Centro de Valorização da Vida, também conhecido pela sigla CVV, realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, com total sigilo pelo telefone 188, e-mail e chat, 24 horas por dia, todos os dias da semana.

 

Confira outros conteúdos sobre a depressão

A depressão é uma doença que precisa ser desmitificada e falada cada vez mais. Por isso, a Apsen preparou uma série de materiais sobre o assunto, como esse artigo que você acabou de ler. Assista ao episódio sobre depressão do programa Papo de Doutor. Aperte o play e aproveite!

Receba nossas novidades

Preencha o campo abaixo com seu e-mail e receba todas as novidades do nosso universo em primeira mão.