Desmineralização óssea: como as vitaminas D e K auxiliam no processo? - Apsen Farmacêutica - O cuidado que transforma!
Siga-nos!

Siga-nos


Saúde óssea

3 semanas atrás

Desmineralização óssea: como as vitaminas D e K auxiliam no processo?

Desmineração óssea

Para os idosos, muito se fala sobre a osteoporose, mas você sabia que existem graus antecedem essa condição mais severa? E que nestes casos é possível reverter a situação?

Por isso, é importante sempre se manter informado e com acompanhamento médico, pois abaixo vamos falar sobre a desmineralização óssea, uma doença pouco conhecida, mas que atinge muitos brasileiros.

O que significa desmineralização óssea?

Como o próprio nome sugere, é a perda da massa mineral que compõe o osso. Essa perda influencia na estrutura e densidade do esqueleto. Para casos mais leves pode ser diagnosticado como osteopenia, mas em casos mais avançados o paciente pode receber a informação de osteoporose.

A perda de densidade óssea acarreta diversas preocupações para o paciente, desde dores e falta de força para locomoção, até mesmo a maior suscetibilidade à fraturas devido quedas. A fragilidade do osso deixa a pessoa mais suscetível a machucados e por isso precisa de cuidados na rotina, inclusive a mudança de alguns hábitos e a prática de atividades, como subir e descer escadas ou até mesmo a altura da cama e cadeiras.

O que causa a desmineralização óssea?

O principal ponto de atenção é que a estrutura óssea tem em sua composição o cálcio, e por isso é preciso a ingestão desse nutriente no decorrer da vida, assim, a massa mineral é sempre reposta e evita a perda gradativa.

Outro ponto de atenção é a atividade física que precisa estar presente no dia a dia para que o corpo tenha um processo de regeneração mais rápido além de fortalecer outro ponto importante para nos manter de pé, os nossos músculos. Assim, não há a sobrecarga apenas no esqueleto e o desgaste acontece de forma bem mais natural e equilibrada.

Alguns tipos de alimentos ou rotinas podem influenciar também, como a ingestão de bebidas alcoólicas ou então produtos com muito açúcar, como refrigerantes. Uma dieta rica em vitaminas, fibras e minerais é o ideal para que a pessoa viva de forma completa e sem preocupações.

Quais os melhores exercícios para quem sofre de desmineralização óssea?

Como falamos acima, é importante manter uma vida equilibrada e os exercícios físicos devem fazer parte da rotina do paciente com qualquer grau de desmineralização óssea. Mas para evitar fraturas é preciso inserir na rotina exercícios de baixa intensidade e impacto. Bons exemplos são alongamentos, pilates e ioga.

Esses exercícios auxiliam no aumento da flexibilidade e força concentrada, evitando assim explosões de impacto nas juntas ou nos ossos mais frágeis. A rotina tem que começar de dentro pra fora, então esse tipo de atividade promove também o bem-estar mental, além do físico.

O cálcio na alimentação

Você sabia que não existe cálcio apenas no leite? Isso mesmo, o cálcio também pode ser encontrado em frutas, legumes e muitos outros alimentos.

Veja abaixo alguns outros alimentos que você pode consumir para suprir esse mineral tão importante para o corpo. Para efeito de comparação, um copo de 100 ml de leite integral possui 123mg de cálcio.

  • Tofu (100g) – 159mg de cálcio
  • Brócolis (100g) – 400mg de cálcio
  • Espinafre (100g) – 160mg de cálcio
  • Semente de gergelim (100g) – 400mg de cálcio
  • Soja (100g) – 90mg de cálcio
  • Linhaça (100g) – 200mg de cálcio
  • Grão de bico (100g) – 120mg de cálcio
  • Aveia (100g) – 300mg de cálcio
  • Chia (100g) – 556mg de cálcio

 

O que fazer para recuperar a mineralização óssea?

Caso a desmineralização seja diagnosticada em qualquer grau é preciso fazer a reposição desses minerais. A melhor forma é suprir com alimentos ricos em cálcio e, se possível, aliar com uma suplementação completa. O acompanhamento médico é necessário nesse momento, ele poderá identificar a quantidade de cálcio que seu corpo necessita diariamente e orientar para uma alimentação completa e saudável.

A verdade é que não adianta ingerir uma grande quantidade se seu corpo não está apto para absorver esse mineral, é nessa hora que entram as vitaminas K2 e D.

 

Importância da vitamina D e K para os ossos

A vitamina K2, encontrada em verduras verde-escuras, principalmente como couve ou brócolis, por exemplo, tem como papel principal levar o cálcio para o lugar que ele precisa estar, e assim não ocorrer o depósito em lugares indevidos em nosso corpo.

Já a vitamina D, presente em maior quantidade e qualidade nos raios solares, além de alguns alimentos como peixes gordurosos, ajuda na melhor absorção do cálcio e fósforo o deixando mais resistente em nosso corpo.

Os dois, quando aliados, são excelentes para manter nosso corpo em dia com a saúde e por isso é preciso balancear a ingestão. Para isso, além dos alimentos, no mercado existem suplementos alimentares para pessoas que possuem uma rotina privada de sol, por exemplo.

O déficit dessas vitaminas é muito comum em idosos, que têm o costume de se manter mais em casa e tem falta de apetite durante os dias, por isso é uma opção valiosa para contornar a situação.

Cuidar da saúde é sempre importante e deve ser prioridade na nossa vida. Nossos corpos nos mantêm ativos para todas as atividades que queremos exercer. Uma dieta equilibrada nos dá mais ânimo e disposição para seguir em frente e, por isso, temos que estar sempre atentos ao que nosso corpo nos pede.

Saiba mais em nosso blog sobre a qualidade de vida na terceira idade e também nos acompanhe nas redes sociais Facebook e Instagram.

 

Fontes

Mais em Saúde óssea

Receba nossas novidades

Preencha o campo abaixo com o seu e-maile receba todas as novidades do nosso universo em primeira mão.